Topo
Sexting

Sexting

Categorias

Histórico

Existe um aplicativo para deixar seus nudes mais seguros

Felipe Germano

26/04/2019 14h34

Você pode até dizer que não, mas a gente sabe que você tem um nude no seu celular. Quer dizer, as chances para isso são boas. Em 2016, o IBOPE Conecta (braço da agência de pesquisas, dedicado exclusivamente ao online) mostrou que 47% dos internautas brasileiros já receberam um. Não só isso. 20% já enviou uma foto erótica pela internet.

E quem tem nude, tem medo. Imagine se você vai mostrar uma foto daquela viagem para sua mãe, só que quando abre a galeria do celular o que está na tela é uma foto sua. Do jeitinho que veio ao mundo – e em ângulos diversos. Ou pior: ao mandar uma foto importante para o grupo de WhatsApp do trabalho, você, ops, selecionou uma imagem bem mais pessoal e enviou sem querer. Pesadelo, né? Mas dá para evitar.

Gratuito, porém exclusivo para iOS, o Orga é um aplicativo que vai proteger suas nudes de situações como essa.

Super simples, trata-se de uma inteligência artificial que escaneia todas as suas fotos. O aplicativo consegue identificar, por exemplo, as imagens que contém árvores, escritos, retratos, cachorros e, bom, genitais.

Depois que o app analisa suas imagens você pode fazer pesquisas específicas. Por exemplo, digitando "cats" no buscador, o aplicativo selecionará todas as fotos que você tem de felinos.

Como o que nos interessa aqui são as nudes, é só você pesquisar "Nudity". Todas as suas fotos +18 aparecerão ali.

Dá até para ajustar a sensibilidade da inteligência artificial. Clicando no ícone da engrenagem que aparece acima, você consegue definir de 0 a 10 o quanto quer que o app seja rígido na definição de o que é nudes. Zero é padrão nenhum (todas suas fotos são consideradas pornografia) 10 seleciona apenas imagens extremamente explícitas. O 5 pode entender que algumas fotos de biquíni são eróticas. Vale ir ajustando.

Depois que encontrar as fotos que quer proteger, clique em Select, selecione as fotos, e clique, na parte inferior da tela onde está escrito Save To The Photo Vault. É aí que as coisas ficam ainda mais interessantes.

O tal Photo Vault (Cofre de Imagens, em português) é uma pasta que só você tem acesso. Ao criá-la, dentro do app, você define uma senha de segurança. Sem isso, não dá para ver o que tem lá. O lugar perfeito para nudes.

Só que não para por aí. Na hora que você envia a imagem para o Cofre, o aplicativo pede sua permissão: você pode apagar a imagem tanto do seu celular quanto do seu iCloud. A nude para de existir dentro da sua pasta protegida.

Parece simples, mas é ótimo. Apagar a foto do seu celular elimina o risco de abrir a nude sem querer quando for mostrar uma foto para alguém na sua galeria, e também não permite o envio da fotografia errada no grupo de WhatsApp. Eliminar do iCloud garante que, mesmo se hackearem sua conta, ninguém terá acesso à suas imagens íntimas. Essa medida protegeria, por exemplo, as atrizes hollywoodianas que tiveram suas fotos vazadas, em 2014.

Quando quiser ver as fotos que colocou no cofre, é super simples: Vá para Albums, no menu principal, e Photo Vault, na parte superior da tela. Digite a senha e, voilà.

Outra boa notícia é que o aplicativo é completamente offline. Ou seja, você não corre nenhum risco de que hackers ataquem os servidores da Orga e aí consigam suas fotos. Todas suas imagens ficam única e exclusivamente no seu celular (e codificadas para só serem abertas por senha e dentro do app).

A partir daí, sempre que quiser enviar uma das nudes já protegidas, entre no seu cofre, copie a imagem de volta para sua galeria, e envie. Só não se esqueça de colocar a nude de volta no cofre depois.

As proteções aqui citadas não impedem que alguém repasse suas fotos na internet. Mas vale lembrar que esse compartilhamento não-consensual é crime. Dá cadeia: com pena que varia de um a cinco anos de prisão.

Sobre o Autor

Felipe Germano é jornalista que escreve sobre Comportamento Humano, Saúde, Tecnologia e Cultura Pop. Para encontrar as boas histórias que procura contar, atravessa o planeta: visitou de clubes de swing e banheiros do sexo paulistanos à sets de cinema hollywoodianos. Trabalhou nas redações da rádio Jovem Pan, site Elástica, Revista Época e Revista Superinteressante - e agora colabora com o UOL.

Sobre o Blog

Sexo é o que há de mais antigo nesse planeta, e tecnologia nos traz o que há de mais moderno. Mesmo sem saber quem foi nosso antepassado mais antigo, dá para cravar: ele transava. Mas se engana quem acha que o sexo não mudou nada desde a primeira vez. A tecnologia evoluiu, e com ela nossos hábitos na cama (ou no chão, ou no celular...). Mas dá para juntar tudo, e divertir-se. Muito prazer, esse é o Sexting.