Topo
Sexting

Sexting

Categorias

Histórico

Vibrador de controle remoto bombou nas sex shops no Dia dos Namorados

Felipe Germano

2014-06-20T19:16:05

14/06/2019 16h05

Pode esquecer da caixa de bombons, das rosas, perfumes ou jantarzinhos. Tem outros presentes muito mais interessantes que apareceram nesse dia dos namorados. Sim, pelo título da matéria você provavelmente já sacou: são os sextoys.

Os brinquedinhos sexuais apareceram como uma boa pedida na hora de presentear a cara metade. Pelo menos foi o que os comerciantes especializados perceberam. "Os casais buscam cada vez mais oferecer prazer ao parceiro, ou parceira", afirma Daniel Passos. Ele é o empresário responsável pela Loja do Prazer, a primeira sexshop virtual do país, fundada em 1999. De lá pra cá a iniciativa se tornou a maior vendedora de produtos eróticos a varejo do país.

Passos conta que a média do montante gasto por seus clientes não é baixa, gira em torno dos R$ 260. O valor, no entanto, não desmotiva os compradores. De acordo com o empresário, comparando com o 12 de junho de 2018, o dia dos namorados deste ano deu um salto de 8% no número de vendas.

Parte desses números se deve à alguns favoritos entre os clientes. Passos conta alguns dos destaques que fizeram a clientela vibrar nesse dia dos namorados.

Um dos mais procurados foi também um dos produtos mais em conta. O anel peniano vibratório sai por menos de R$ 100 e foi eletrônico erótico mais comprado nesse dia 12.

Anéis penianos, em geral, já são pensados para uma experiência a dois. O objeto tende a restringir parte da circulação sanguínea ao redor do pênis, o que – quando feito da maneira correta – pode aumentar o prazer. Em paralelo, a zona de contato pode estimular o corpo da sua cara metade.

O modelo em questão tenta se aproveitar ainda mais disso. Chamado de Chester, produzido pela chinesa Pretty Love, seu design é pensado para estimular o clítoris de uma parceira. Vibrando, ele serve para potencializar o prazer tanto de quem o usa, quanto do parceiro.

 

Outro brinquedo que fez sucesso foi um novo vibrador da marca We Vibe.

A marca é conhecida por desenvolver sextoys com controle remoro, que podem ser comandados via aplicativos.

Sua nova versão, no entanto, trouxe uma inovação: o modelo Match permite que casais usem ele tanto remotamente quanto deixando-o ativo durante a penetração. O design permite que ele e um pênis (ou prótese) sejam coexistam no sexo, sem que haja desconforto – principalmente para a usuária. "Essa nova versão foi mais um hit. A marca lidera o ranking praticamente todos os anos seguidos como o mais procurado para casais", conta Passos.

A grande novidade para passos, no entanto, não está necessariamente entre os brinquedinhos mais vendidos. Se trata do Womanizer. Diferentemente dos fálicos vibradores convencionais, esse tipo específico de toy tem uma função muito bem determinada: a sucção de clitóris, simulando o sexo oral.

Os brinquedos são caros. Mas aparentemente eficazes e discretos. O modelo 2Go, por exemplo, é importado da Alemanha e passa despercebido no meio de uma estante com batons. A brincadeira, no entanto, sai por R$ 1.400,00.


Outros modelos mais econômicos, no entanto, também estão disponíveis no mercado. O sugador da marca chinesa Erotic point pode ser encontrado por cerca de R$ 500.

Diversos modelos, e preços, funções. Os sextoys já estão mais do que presentes no dia dos namorados. Faz até você repensar, né? Aquelas rosas foram mesmo a melhor escolha?

Sobre o Autor

Felipe Germano é jornalista que escreve sobre Comportamento Humano, Saúde, Tecnologia e Cultura Pop. Para encontrar as boas histórias que procura contar, atravessa o planeta: visitou de clubes de swing e banheiros do sexo paulistanos à sets de cinema hollywoodianos. Trabalhou nas redações da rádio Jovem Pan, site Elástica, Revista Época e Revista Superinteressante - e agora colabora com o UOL.

Sobre o Blog

Sexo é o que há de mais antigo nesse planeta, e tecnologia nos traz o que há de mais moderno. Mesmo sem saber quem foi nosso antepassado mais antigo, dá para cravar: ele transava. Mas se engana quem acha que o sexo não mudou nada desde a primeira vez. A tecnologia evoluiu, e com ela nossos hábitos na cama (ou no chão, ou no celular...). Mas dá para juntar tudo, e divertir-se. Muito prazer, esse é o Sexting.