Topo

Histórico

Categorias

Deu match? Veja como mandar a primeira mensagem perfeita

Felipe Germano

22/11/2019 04h02

Yura Fresh/ Unsplash

Eu não sei o que você faz logo após conseguir aquele match. Mas seja o que for, acredite em mim, não fale "oi" ou "olá". É para o bem da sua vida sexual. Uma nova pesquisa mostra que mensagens contendo essas saudações padrão só tem 45% de chances de serem respondidas.

Esse e outros dados estatísticos apareceram em uma nova pesquisa realizada pelo Inner Circle, app de namoro com sistema de matchs. Eles analisaram 28,8 milhões de primeiras mensagens entre crushs-pós-match, e entenderam o que está dando certo (ou não), quando o assunto é esse primeiro contato.

As mensagens foram submetidas, coletivamente, a uma inteligência artificial que analisou e gerou estatísticas sobre as mensagens. O conteúdo das mensagens e a identidade dos usuários foram mantidas em sigilo durante todo o processo.

Os dados mostram que a chave para o sucesso está nos detalhes. Pequenas atitudes, como chamar a pessoa pelo nome, logo de cara, já aumentam as chances de uma resposta em 4%.

Ainda nas estatísticas menores, vale a dica de deixar os emojis de lado, pelo menos no início. A pesquisa mostrou que quem usa os símbolos na mensagem de estreia diminui em 4% a possibilidade de ser respondido. Mas vale lembrar que os desenhos são muito valiosos. Já falei aqui que quem entende a conotação sexual das figuras tende a transar mais.

E, olha, não precisa falar muito. A pesquisa mostra que mensagens com mais de 20 palavras têm 10% a mais de chance de serem deixadas no vácuo. Melhor deixar o textão para outro momento.

E não se preocupe em focar na curiosidade, por enquanto. No mundo dos apps, a curiosidade não matou nem salvou os gatinhos e gatinhas online. Cerca de 30% das primeiras conversas continham perguntas. Estatisticamente, no entanto, fazer perguntas não ajudou em nada, mas também não atrapalhou.

O fato é: primeiras impressões, definitivamente, ficam. E é a ciência dizendo isso. Estudos já apontaram que são necessários só alguns segundos para a pessoa sacar se você é inteligente, se tem uma uma personalidade carismática, e até se merece um aumento. Agora, se é assim no dia a dia, imagine em um ambiente feito para te avaliar, como um app de namoro. Uma caprichadinha nesse primeiro xaveco, pode render…

Sobre o Autor

Felipe Germano é jornalista que escreve sobre Comportamento Humano, Saúde, Tecnologia e Cultura Pop. Para encontrar as boas histórias que procura contar, atravessa o planeta: visitou de clubes de swing e banheiros do sexo paulistanos à sets de cinema hollywoodianos. Trabalhou nas redações da rádio Jovem Pan, site Elástica, Revista Época e Revista Superinteressante - e agora colabora com o UOL.

Sobre o Blog

Sexo é o que há de mais antigo nesse planeta, e tecnologia nos traz o que há de mais moderno. Mesmo sem saber quem foi nosso antepassado mais antigo, dá para cravar: ele transava. Mas se engana quem acha que o sexo não mudou nada desde a primeira vez. A tecnologia evoluiu, e com ela nossos hábitos na cama (ou no chão, ou no celular...). Mas dá para juntar tudo, e divertir-se. Muito prazer, esse é o Sexting.

Sexting