PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Pintou um clima no WhatsApp? Aplicativo diz se seu crush está a fim de você

Felipe Germano

20/12/2019 04h00

pikisuperstar/Freepik

A língua do amor pode ser complicada. Aquela pessoa está só sendo simpática ou está rolando um clima? Aquele emoji de coração significou o quê? Eu tô entendendo tudo certo ou tudo errado? Não é fácil.

O que nos resta é pedir outras opiniões. Dá para mostrar as mensagens para amigos próximos, perguntar o que eles acham, mas sempre fica aquela pulguinha atrás da orelha. Afinal, o flerte não é uma ciência exata, né? Na verdade, até que é.

Um aplicativo está prometendo te dizer se há realmente um nível de flerte entre você e seu crush. Tudo da forma mais analítica possível: usando inteligência artificial.

A novidade chama Mei. Disponível para Android e iOS, trata-se de um algoritmo que analisa conversas e encontra padrões românticos no meio dos chats. E sem muita complicação. Você só precisa exportar um papo do WhatsApp e submeter ao aplicativo. Em poucos segundos ele te diz o que entendeu: uma porcentagem que representa a possibilidade de estar rolando climinha naquele chat.

"Para chegarmos a esses resultados, treinamos um modelo de inteligência artificial. Submetemos conversas para ele, que foi começando a perceber similaridades", conta ao Sexting Es Lee, fundador e CEO da Mei. "Funciona como um barman, que ouviu milhares flertes ao longo dos anos. Depois de um tempo sua habilidade em detectar esse tipo de conversa, começa a ficar bem boa", completa. "Quanto mais referências, mais experiente e fácil fica a interpretação das intenções por trás do texto. Então uma máquina com centenas de milhares de conversas desse tipo, como a Mei, provavelmente será melhor do que qualquer humano jamais foi", afirma.

É importante dizer que para isso acontecer, as conversas submetidas ao sistema (ou seja, as suas conversas) também entram para a biblioteca do algoritmo. Na prática seus xavecos servirão para aperfeiçoar a análise da mensagens dos próximos que querem entender se há amor nas entrelinhas. Mas Lee jura que você não precisa se preocupar com sua privacidade. A empresa afirma que o processo todo de análise é feito exclusivamente pela máquina, humanos não leem nada que você escreveu. Seu sexting está seguro.

Para descobrir os mistérios do amor, no entanto, é preciso desembolsar um dinheirinho. O aplicativo é gratuito, mas a análise dos dados não. Ter os resultados de uma única conversa sai por cerca de R$ 10 (o valor muda um pouco, porque depende da cotação do dólar). Se você estiver muito na curiosidade e acha que precisa analisar 40 papinhos, precisará gastar R$ 260.

E, sim, importante: o sistema também funciona para os brasileiros. "A Mei funciona em português, mas como não é nossa língua nativa, precisa de uma tradução antes. Isso acontece de forma automática, onde o sistema detecta o idioma e passa para o inglês", conta Lee. "Nós já analisamos conversas de mais de 6 mil usuários brasileiros até agora, então quanto mais participantes, melhores serão os modelos pensados já para o português. Ao longo do tempo a inteligência artificial entenderá melhor esses casos", afirma.

Espero que sim. Em um teste para analisar as conversas com minha namorada, ferramenta nos deu só 5% de compatibilidade. Mandamos "eu te amo" todo dia, Mei, não faça isso comigo!

De qualquer forma, update focado em aumentar a qualidade das interpretações em português está programado para janeiro. Até lá, desejem-me sorte…

Sobre o Autor

Felipe Germano é jornalista que escreve sobre Comportamento Humano, Saúde, Tecnologia e Cultura Pop. Para encontrar as boas histórias que procura contar, atravessa o planeta: visitou de clubes de swing e banheiros do sexo paulistanos à sets de cinema hollywoodianos. Trabalhou nas redações da rádio Jovem Pan, site Elástica, Revista Época e Revista Superinteressante - e agora colabora com o UOL.

Sobre o Blog

Sexo é o que há de mais antigo nesse planeta, e tecnologia nos traz o que há de mais moderno. Mesmo sem saber quem foi nosso antepassado mais antigo, dá para cravar: ele transava. Mas se engana quem acha que o sexo não mudou nada desde a primeira vez. A tecnologia evoluiu, e com ela nossos hábitos na cama (ou no chão, ou no celular...). Mas dá para juntar tudo, e divertir-se. Muito prazer, esse é o Sexting.