PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Rolou música antiga e emoji de coração? É match! Como foi 2019 no Happn

Felipe Germano

27/12/2019 15h11

rawpixel.com/ Freepik

Ano vai, ano vem e todo Natal a Simone pergunta o que a gente fez. Agora, com alguns dias de atraso, a gente consegue responder um pouco melhor – pelo menos se o assunto for o Happn.

O app de encontros lançou um relatório em que explica um pouquinho com quem o brasileiro deu matchs em 2019. E traz detalhes, digamos, curiosos.

As músicas mais compartilhadas no app são um exemplo disso.

Entre as dez canções mais populares, só uma foi lançada neste ano. Ao mesmo tempo, há hits com mais de 50 anos na lista composta por:

Call Me Maybe, da Carly Rae Jepsen (2011)

I Will Always Love You, da Whitney Houston (1992)

I Put a Spell on You, do Screamin' Jay Hawkins (1956)

Highest in the Room , do Travis Scott (2019)

Heartbreaker, da Mariah Carey com uma participação do Jay-Z (1999)

Treasure, do Bruno Mars (2012)

Happy, do Pharrell Williams (2013)

Crush, da Jennifer Paige (1996)

Love Never Felt So Good, do Michael Jackson com participação do Justin Timberlake (2014)

Happy Birthday, do Stevie Wonder (1980).

Na parte dos emojis, no entanto, a coisa foi mais óbvia. Os três mais usados ficaram no clima amorzinho-good-vibes. O pódio ficou assim:

😉

O app ainda revelou os nomes mais cobiçados entre os pombinhos. Os xarás do Santoro ficaram na liderança e os meus homônimos fecharam o top 5 composto por:

Rodrigo

Rafael

Bruno

Marcelo

Felipe.

Entre as meninas, quem divide o nome com a Montenegro ganhou a coroa do ranking cujo quinto lugar é ocupado pela Riscado e outras milhares de Alines brasileiras. A listinha delas ficou assim:

Fernanda

Ana

Juliana

Camila

Aline.

Na bateção de cartão do amor, quem fez mais sucesso foi justamente quem não precisa prestar contas ao chefe.

Entre as profissões dos solteiros mais queridos, os empresários lideraram a disputa. Mas dá para pedir protesto, meritíssimo. Advogados e advogadas pegaram respectivamente o segundo e terceiro lugar na disputa. Que foi seguida, olha a ironia, justamente por professoras e estudantes. Os professores homens, no entanto, ficaram um pouco abaixo, em nono lugar da lista. Antes deles ainda vieram os engenheiros (em sexto) que caso se especializassem na área civil desciam duas posições e os analistas de sistemas, que pegaram o sétimo lugar.

E os lugares onde rolaram aquele crush gostoso? Bom, o aplicativo levantou os 10 lugares com mais crushes, levando-se em conta três capitais brasileiras: São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. E o resultado foi:

Mirante 9 de Julho (São Paulo)

Avenida Paulista (São Paulo)

Arcos da Lapa (Rio de Janeiro)

Praça Savassi (Belo Horizonte)

Praça da Liberdade (Belo Horizonte)

Beco do Batman (São Paulo)

Praia de Ipanema (Rio de Janeiro)

Parque do Ibirapuera (São Paulo)

Lago da Pampulha (Belo Horizonte)

Lagoa Rodrigo de Freitas (Rio de Janeiro)

O app afirma que em 2019 teve um aumento de 59% no número de usuários brasileiros, que hoje formam 10 milhões de pessoas. E a galera mais ativa no app tem idade entre 25 e 34 anos, faixa etária que representa 43% de todos os usuários. Dado importante para você entender se é lá que está o pessoal que você anda procurando.

Ou seja, música antiga, emoji de coraçãozinho, Rodrigos, Fernandas e empresários. Foi isso que a gente fez, Simone. Está satisfeita?

Sobre o Autor

Felipe Germano é jornalista que escreve sobre Comportamento Humano, Saúde, Tecnologia e Cultura Pop. Para encontrar as boas histórias que procura contar, atravessa o planeta: visitou de clubes de swing e banheiros do sexo paulistanos à sets de cinema hollywoodianos. Trabalhou nas redações da rádio Jovem Pan, site Elástica, Revista Época e Revista Superinteressante - e agora colabora com o UOL.

Sobre o Blog

Sexo é o que há de mais antigo nesse planeta, e tecnologia nos traz o que há de mais moderno. Mesmo sem saber quem foi nosso antepassado mais antigo, dá para cravar: ele transava. Mas se engana quem acha que o sexo não mudou nada desde a primeira vez. A tecnologia evoluiu, e com ela nossos hábitos na cama (ou no chão, ou no celular...). Mas dá para juntar tudo, e divertir-se. Muito prazer, esse é o Sexting.