Topo
Sexting

Sexting

Categorias

Histórico

Quer fazer um ménage à trois? Estes apps te ajudam

Felipe Germano

24/01/2019 04h49

Threesome / ménage à trois foi a quinta categoria mais procurada por brasileiros no Porn Hub, em 2018. Dá para deduzir então, que o Brasil tem interesse em sexo à 3. Só que a fantasia em questão não é das mais fáceis de realizar.

A não ser que você esteja em um grupo bem mais liberal que a média mundial, dificilmente você vai chegar para seus amigos e amigas de infância e perguntar se alguém está a fim de passar uma noite na cama com sua esposa ou esposo. Abordar pessoas em bares e baladas também podem gerar momentos desconfortáveis. Ao mesmo tempo, o ambiente de um club de swing pode não parecer o mais atrativo para você.

A solução para isso em 2019 está, claro, na tecnologia. Existem alguns aplicativos cujo objetivo é justamente colocar uma terceira pessoa no seu casal ( ou ser a terceira pessoa do casal de alguém). Separei os melhores e abaixo listo suas características, pontos fracos e fortes:

Feeld

Antes conhecido como 3nder o Feeld é o pioneiro entre os app pró-ménage. Sua dinâmica tão simples quanto poderia ser: depois de criar um rápido perfil, você seleciona o que está procurando (homens, mulheres, casais de homens, casais de mulheres, trans, gender fluids, andrógenos – e 19 outras categorias), a distância máxima que seu radar pode pegar (de 5 a 400 km) e a faixa etária que você está interessado (pode variar entre 18 e mais de 70 anos). A partir daí começa aquele mesmo esquema Tinder de sempre. Perfis começam a parecer para você. Se ambos se derem corações, a opção de chat é aberta para os envolvidos poderem marcar a tal noite caliente.

O Feeld, no entanto, tem problemas graves por trás dessa simplicidade. A mais clara delas aparece logo durante o cadastro. Você é obrigado a vincular o app à sua conta do Facebook. Todas as fotos do seu perfil, aliás, tem que vir diretamente da rede social. O que por um lado é uma segurança (já que todo mundo ali é real, não dá para subir uma foto diretamente do Google), por outro é um ataque à quem quer discrição e/ou postar fotos mais ousadas. Para este último problema, no entanto, há um macete: você pode postas aquela foto no face, mas com a privacidade marcando "somente eu". Nenhum dos seus amigos vai ver as imagens, e elas são reconhecidas pelo app. O aplicativo até oferece uma opção para que seus amigos do Face nunca cruzem com você no app, poupando constrangimentos. Mas para ativá-la você tem que pagar. E não é pouco: R$ 51 ao mês, ou R$ 102 por trimestre.

Um ponto positivo, no entanto, é a possibilidade de criar perfis diferentes para cada membro do casal. Você pode conectá-los, exatamente como o Facebook faz ao falar que duas pessoas estão em um relacionamento sério, a individualidade de cada um, no entanto, permanece. É bom para todo mundo. Cada membro do casal pode escolher como quer se descrever, e que fotos usar, enquanto o convidado para o ménage consegue conhecer melhor cada parte da dupla.

3rder

O 3rder usa a mesma lógica de Feeld: cria-se um perfil e logo em seguida você passa a dar corações ou negar o perfil de outros. Se rolar a compatibilidade, ambos podem conversar.

Aqui, apesar do perfil ter que ser único para o casal, há algumas funcionalidades interessantes. A maior delas é a chamada "Search". Trata-se de um jeito de encontrar pessoas além das que aparecem no modo-tinder. Uma lista mostra perfis de pessoas em três categorias: por ordem de quem acabou de chegar, por ordem de quem acabou de ser verificado (explicarei sobre isso mais abaixo) e por ordem de distância. Assim, se tiver alguém do lado da sua casa, mas que ainda não apareceu para você dar coraçãozinho, você pode tentar fazer contato.

É possível, por exemplo, favoritar o perfil para poder voltar nele várias vezes, ou pressionar o botão "rosas" uma indicação online de que você está a fim. O campo das mensagens, no entanto, só é liberado para assinantes. Um pouco mais barato do que o Feeld, o preço é de R$ 31,90 para um mês, R$ 79,90 para três meses, R$ 129,90 para um semestre.

O problema maior do app é a escassez de filtros. Não dá para selecionar, por exemplo, se você quer encontrar apenas homens, ou apenas casais de mulheres. Vem de tudo para você, o que pode acabar cortando um pouco o clima.

3Fun

Mais um que segue o mesmo modelo de só-conversa-quando-for-recíproco, do Tinder. A parte mais interessante do 3Fun é a sessão de fotos privadas. A ferramenta permite que você selecione até quatro fotos que só quem der match com você vai ver. Nessa área, fotos explícitas estão liberadas.

A discrição, no entanto, também é um ponto fraco por aqui. Apesar de você pode subir fotos direto do seu celular, sem ter que postar em nenhuma rede social, o app pede para que seu perfil tenha pelo menos uma foto do rosto aparecendo. Mais uma vez, é uma manobra de segurança, para comprovar que ninguém naquele rede social use perfis fakes. De qualquer forma, mostrar a cara pode deixar muita gente, que quer uma aventura no sigilo, se sinta constrangida.

Ysos

O grande diferencial do Ysos é que ele, por enquanto, é exclusivo para Android. O que, de certo modo, não é ruim. Em aplicativos de relacionamento, volume é tudo: quanto mais gente estiver na brincadeira, maiores as chances de você encotrar alguém para dar match. Como no Brasil o maior número de celulares é justamente Android, é melhor que o exclusivo seja para os aparelhos do Google do que existam apenas no iOS.

De resto, ele segue o mesmo padrão dos outros: crie um perfil, encontre outros perfis, dê match e marque um rolê.

É interessante notar que quem está por traz do app é a Sexlog, a maior rede social adulta da América Latina (são mais de 10 milhões de usuários). Ou seja, gente que sabe combinar sexo e tecnologia.

Swing'App

Definitivamente o pior da lista. O aplicativo só permite que você veja as fotos de outros perfis depois do match, ou sendo assinante. O custo é mais barato do que a concorrência: € 4,99 (R$ 21) ao mês, ou € 24,99 (R$ 108) por ano.

O que realmente chama atenção no aplicativo, na verdade, é a função de mapa. Nele, uma espécie de Google maps é aberto, indicando onde existem casas de swing ou e estabelecimentos adultos – para você saber onde pode conhecer, via offline, pessoas para um ménage.

Full Swap

Este é o único que não funciona no molde Tinder. No Swap você define o gênero por qual está procurando, idade máxima e mínima desejada e a cidade onde está. Automaticamente uma lista de pessoas com essas características é exibida. Você pode entrar nos perfis, ver qual mais te atrai e enviar uma mensagem, sem ter que esperar a reciprocidade de um match.

É rápido e prático, mas também acarreta em um monte de mensagens que você não está a fim de receber.

Vale lembrar: Nenhum desses apps serve para você convencer o seu parceiro a topar uma experiência à três. Converse com sua dupla antes de qualquer coisa. Se você não sabe como entrar no assunto, uma boa maneira talvez seja o quiz do Mojo Update, que eu já expliquei por aqui com funciona.

E boa sorte, que três não seja de mais, mas demais.

Sobre o Autor

Felipe Germano é jornalista que escreve sobre Comportamento Humano, Saúde, Tecnologia e Cultura Pop. Para encontrar as boas histórias que procura contar, atravessa o planeta: visitou de clubes de swing e banheiros do sexo paulistanos à sets de cinema hollywoodianos. Trabalhou nas redações da rádio Jovem Pan, site Elástica, Revista Época e Revista Superinteressante - e agora colabora com o UOL.

Sobre o Blog

Sexo é o que há de mais antigo nesse planeta, e tecnologia nos traz o que há de mais moderno. Mesmo sem saber quem foi nosso antepassado mais antigo, dá para cravar: ele transava. Mas se engana quem acha que o sexo não mudou nada desde a primeira vez. A tecnologia evoluiu, e com ela nossos hábitos na cama (ou no chão, ou no celular...). Mas dá para juntar tudo, e divertir-se. Muito prazer, esse é o Sexting.