PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Sexo a três: app te ajuda a realizar a fantasia em tempos de coronavírus

Felipe Germano

03/04/2020 04h00

Montagem de Felipe Germano sob fotografia de Dmitry Bayer / Unsplash

O preço da gasolina está caindo. Pode parecer uma boa – mas é uma desgraça. Com o coronavírus, todo mundo está em quarentena, os postos não têm para quem vender o combustível. E aí jogam os preços lá pra baixo, na tentativa de esvaziar a bomba. A longo prazo isso pode ser um problemão para toda uma indústria no Brasil.

Pois bem, atualmente, o ménage à trois (ou qualquer tipo de sexo grupal) é o posto de gasolina do sexo. Já falei aqui: transar com o parceiro fixo, que mora contigo, não tem problema algum. Mas está na hora de fechar os relacionamentos –para o bem de todos. As transas em galera estão em crise.

Imagine o problemão, então, para o FeeldComentei sobre ele aqui outra vez, é um dos principais apps para conseguir um ménage. Deve estar às moscas, certo? Erradíssimo. O app de sexo a três vai te ajudar a realizar essa fantasia em tempos de coronavírus: ela está conectando casais e solteiros dispostos a trocar nudes, fazer vídeos ou mandar mensagens "calientes". Tudo online, para que você não tenha que sair de casa.

O Feeld funciona de maneira bem parecida com o Tinder: você faz seu cadastro, coloca suas fotos e começa a deslizar cards para a direita ou esquerda, dependendo da sua atração pela pessoa ali representada. As diferenças começam a aparecer quando permitem que você vincule dois perfis: o seu e do seu mozão. Assim fica claro desde o começo que estamos falando de um casal –e os interessados podem dar uma conferida em detalhes em cada um dos membros dessa dupla. Show de bola, mas quando eu organizo minha suruba online? Agorinha. Logo depois de criar o perfil.

Nas configurações, o usuário pode escolher se quer encontrar pessoas próximas a ele, ou gente de determinado canto do mundo. Mais ou menos como a função Passaporte, do Tinder, você pode definir que, na verdade, quer ver só pessoas que estão em Londres, Melbourne ou Las Vegas, por exemplo (ferramenta ótima para combinar algo durante uma viagem, quando viagens eram uma possibilidade). Só que agora, em tempos de corona, a ferramenta acrescentou três novos locais, que não existem no mundo real. E é neles que a brincadeira acontece.

Selecionando "Perfil > Configurações de pesquisa > Localização em núcleo do Feeld", o usuário pode selecionar os locais "Quarentine", "Remote Threesomes" e "Sext Bunker". Cada um é focado para um público diferente.

 

De acordo com comunicado feito pelo app, os respectivos objetivos são:

Quarentine
Participe se: você deseja se conectar com seres humanos autoisolantes de todo o mundo
O que esperar: um local virtual verdadeiramente global para conexões românticas, amigáveis e até platônicas

Remote Threesomes
Participe se: você quer uma terceira companhia e acha que ficar em casa não significa brincar de casinha
O que esperar: um espaço dedicado para casais e solteiros que procuram brincar juntos

Sext Bunker
Participe se: você quer pular o papinho furado
O que esperar: mais motivos para lavar as mãos. #FaçaSextSalveVidas.

A ideia é que você encontre pessoas com os mesmos desejos que você (sejam eles só bater um papo ou fazer uma live explícita) e se conecte com eles via aplicativo. Depois que o match é feito, vocês podem decidir se vão continuar por lá mesmo, ou vão migrar para outros espaços como um Hangouts –e dá para encher de gente a mesma chamada, já que a estrutura do app, por ser voltada a casais, consegue fazer matchs de dois em dois. E quem sabe, depois da quarentena, não dê para marcar um encontro presencial.

Dito isso, espero que vocês aproveitem. Curtam bastante o app e não saiam de casa –mesmo com as promoções do posto de gasolina.

Sobre o Autor

Felipe Germano é jornalista que escreve sobre Comportamento Humano, Saúde, Tecnologia e Cultura Pop. Para encontrar as boas histórias que procura contar, atravessa o planeta: visitou de clubes de swing e banheiros do sexo paulistanos à sets de cinema hollywoodianos. Trabalhou nas redações da rádio Jovem Pan, site Elástica, Revista Época e Revista Superinteressante - e agora colabora com o UOL.

Sobre o Blog

Sexo é o que há de mais antigo nesse planeta, e tecnologia nos traz o que há de mais moderno. Mesmo sem saber quem foi nosso antepassado mais antigo, dá para cravar: ele transava. Mas se engana quem acha que o sexo não mudou nada desde a primeira vez. A tecnologia evoluiu, e com ela nossos hábitos na cama (ou no chão, ou no celular...). Mas dá para juntar tudo, e divertir-se. Muito prazer, esse é o Sexting.